Eu passarinho...

"Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho
Eles passarão...
Eu passarinho!" Mário Quintana

Home Ask Submit escritos SkoobSubmit Archive

É só mais um dia…

Hoje o celular não tocou. O dia tem se arrastado trazendo consigo uma monotonia tão grande que quase me sinto parada no tempo.
Eu não queria que ninguém enxergasse a minha solidão, mas ela já cresceu tanto que nem cabe mais em mim. Agora eu vou exibindo essa dor por aí, mostrando pra todo mundo que algo falta em mim.
Eu só espero por uma voz amiga que me diga que ta tudo bem se sentir tão estranha, que isso não é o fim do mundo.

- A.N

Claustrofobia

Às vezes esqueço
que o mundo não cabe 
dentro do meu peito.

“Eu tinha 8 anos. Não sei por que comecei o texto desta forma, mas acho que foi apenas para chamar atenção. Não aconteceu nada quando eu tinha 8 anos. Esse é o problema, não acontecia nada na minha vida. Não conhecia pessoas, não fazia amizades, não sabia o que era receber carinho. Queria apenas brincar de carrinho, jogar bola. Sair correndo na rua era uma satisfação enorme. Lembro que quando minha mãe pedia para eu ir a padaria, eu ia correndo e voltava ainda mais rápido. Hoje, ela fala pra eu ir, e eu já tenho que reclamar perguntando por que ela não vai. Muita gente fala que tem saudade de ser criança novamente, eu não sei se sinto tanta falta assim. Eu fui uma criança sozinha, nada diferente dos dias de hoje, mas antes, eu me contentava por ser só. Eu criava personagens e diziam que eram amigos imaginários, hoje eu crio personagens e falam que sou louco. Acordava cedo e ia brincar na rua, sozinho, mas brincava. Hoje acordo e fico no meu quarto, meio escondido das coisas e de todos. Quanto mais velho eu estiver, mais difícil é de para escapar da minha própria prisão. A prisão dos meus pensamentos, das palavras que não digo. Dos sentimentos que eu não demonstro. Das lagrimas que eu guardo. Dos gritos em silêncio. A solidão. A falta de alguém que fale “eu estou com você”, “eu quero estar com você”. Uma demonstração de que eu, simplesmente eu, sou além de um conhecido. Sou importante.”

-O menino Charlie.  

O café não tem mais efeito sob Ana.

O café não lhe tira mais o sono,não lhe incomoda,porque a vontade de desaparecer por algumas horas desse mundo por meio do sono é bem mais forte que a cafeina.

(Darlís S.)

Tu aceitaria o náufrago de vida
que tenho em mãos,
que num sopro
é nada
e num vendaval
é solidão?

j.

Não quero só a casca que te envolve e o que tu expõe tão deliberadamente ao mundo

eu gosto dos teus despropósitos
do que tu és sem querer
sem perceber.

Anthonieta: desvairada, agoniada, urgente.

“Envelheci
10 anos
ou mais,
nesse último
mês.”

-Engenheiros do Hawaii.